Aeromodelismo para iniciantes – Parte I

O “Aeromodelismo para iniciantes” é uma série de artigos que tem por objetivo informar a quem tem interesse em entrar nesse hobby, tudo que vai precisar e tudo o que pode esperar.

 

Artigos da série já publicados

Aeromodelismo para iniciantes – Parte II

Aeromodelismo para iniciantes – Parte III

Aeromodelismo para iniciantes – Parte IV

Aeromodelismo para iniciantes – Parte V

 

Antes de mais nada, temos que entender o que é necessário para entrar no aeromodelismo. No inicio, é quando todos passam pela prova de fogo se realmente querem participar ou não, pois como não possuem o equipamento e nem a experiencia necessária acabam gastando mais e muitas vezes se chateando e desistindo do esporte. Por isso, prestem atenção a essas dicas.

1 . Espaço para praticar (pistas)

Esse é o item fundamental, não adianta você achar que qualquer lugar sem fio pode ser usado para o aeromodelismo, para você praticar e principalmente iniciar, você precisa de um espaço ideal para isso, porque a falta disso pode gerar acidentes no aeromodelo (prejuizo para você) ou pior acidente com pessoas que frequentem o local também, podendo causar sérios ferimentos, por isso aeromodelo não é considerado brinquedo, pois deve ser levado a sério.

Então o primeiro passo a se dar é procurar lugares onde você poderia praticar o esporte, se não há um clube de aeromodelismo com a pista, você pode procurar algum lugar afastado onde não haja pessoas, que não tenha arvores ou fios e que não haja tráfego aéreo. Lembre-se, normalmente um clube de aeromodelismo cobra pela associação e uma mensalidade para manter tudo em ordem e também fornecer estrutura, energia e outros recursos que facilitam todas as suas necessidades relativas ao hobby.

2 . Escolha de Estilo e Equipamentos

Como estilo, atualmente existem 4 vertentes:

  • Voo livre: Que tem como caracteristica, nenhum controle elétrico ou mecanico por isso o “livre”
  • VCC: Voo Circular Controlado, tem como caracteristica o controle somente do profundor (subir ou descer) tendo um cabo fixado ao aeromodelo e por isso obrigando um trajeto sempre circular, essa modalidade foi a que iniciou tudo, mas agora está menos utilizado.
  • A combustão: Na verdade essa categoria é uma sub-categoria do Controlado por Radio, que permite o controle de todos os comandos de um aeromodelo. Porém o motor é a combustão, alguns a gasolina outros (mais comum) de uma mistura conhecida como glow, como é um estilo que tem motorização mais aproximada da real, permite uma variedade e simulação da realidade mais aproximada que a real, porém exige-se mais acessórios e manutenções além de ser mais caro.
  • Elétrico: Assim como o a combustão é uma vertende do Controlado por Rádio, que permite uma liberdade maior, a tecnologia em si é mais recente e vem sendo evoluida a cada ano, permitindo uma aproximação cada vez maior da categoria a combustão que praticamente não tem limites de potencia. A vantagem do elétrico é praticamente a ausencia de manutenção e o custo mais barato. Eu particularmente, conheço mais dessa categoria, pois optei por ela, por dois motivos: falta de espaço apropriado para o a combustão e por não ter habilidades manuais para fazer toda manutenção necessária.

Os equipamentos, por experiencia própria, não podem ser comprados sem pesquisar e avaliar a procedencia deles. Sim, eu acabei comprando pelo preço chamativo, um aeromodelo que nunca voou. Se você não tiver nenhum conhecido que já seja aeromodelista, o melhor a fazer deve ser encontrar seu Transmissor. O transmissor é o controle e diferentemente dos controles de carrinhos de controle remoto esse tem um mecanismo bem mais avançado o qual permite uma distancia muito maior além de um comando sensível (que é realmente onde precisa de treino, que os aeromodelistas costumam chamar de pegar “dedo”).

Mais para frente abordarei os possíveis transmissores, mas com um transmissor, você poderá comandar vários aeromodelos diferentes, por isso no inicio o investimento é mais caro. Com ele você pode também comprar um cabo de interface com o PC, isso é uma alternativa muito boa para treinar (sem gastar enquanto você quebra virtualmente somente) e além disso se diverte. É claro, que sem sombra de dúvidas não chega nem perto de voar de verdade, porém não se desespere você chega lá.

Em relação ao aeromodelo em si, as opiniões se dividem muito, entre montar o seu próprio modelo logo no começo e comprar um kit pronto, particularmente eu acho que depende de seu conhecimento sobre aerodinamica e funcionamento de aviões e principalmente sua habilidade de realizar trabalhos manuais, por isso eu optei inicialmente por kits já prontos.

Existem vários tipos de kits para comprar, as opções mais comuns são:

Exemplo de kit RTF

  • RTF (Read To Fly): Pronto para voar, ou seja, a não ser por em alguns casos, pequenas montagens o aeromodelo já vem completo para voar (inclusive o transmissor, bateria, carregador)
  • ARF (Almost Read To Fly): Quase pronto para voar, o aeromodelo em si vem completo, faltando alguns componentes dependendo de cada kit, como transmissor, motor, speed, etc.
  • KIT: Somente a estrutura do modelo (fuselagem, asa e comandos), em alguns casos vem o motor.

3 . Treinamento

Procure um instrutor ou pelo menos baixe um simulador, um que conheço é o FMS, esse é gratuito, não tem efeitos graficos ótimos, mas é um ótimo simulador para treinamento. No site superdownloads é possível baixar, clique aqui para isso.

Aprenda a Escolher seu Aeromodelo

61 Comments

(Required)
(Required, will not be published)